SÉRIE: "12 PRINCÍPIOS PARA SE TORNAR UM EMPREENDEDOR DE CRISTO"
 

Autor: Cláudio Henrique Guisoli

PRIMEIRO PRINCÍPIO: "TENHA A PERSPECTIVA DE CRISTO PARA O SEU NEGÓCIO E PROFISSÃO"

Existem famílias formadas por gerações de médicos, advogados, empresários, etc.

O pai olha para o filho ainda bebê e projeta o seu futuro: Esse vai ser um famoso Advogado, Essa vai ser uma grande Médica.

O pai incentiva, orienta, investe na formação do filho, e vê o seu projeto se tornar realidade: o filho está vivendo o sonho do pai.

Alguns vivem os sonhos dos pais, outros buscam viver seus próprios sonhos, mas quem busca viver os sonhos do Pai Celeste para sua vida?

 

Jesus disse: “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou”. (Jo 6:38 RA)

Empreender é fazer acontecer é pôr em execução. Fazer acontecer o que, pôr em execução o que?

Os sonhos de Deus para a sua vida!

Antes mesmo que viéssemos a existir Deus já tinha sonhos “projetos” para nossa vida.

Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.(Sl 139:16 RA)

Jesus viveu o maior sonho de Deus: Ele morreu a nossa morte para que pudéssemos viver a sua vida. Ele veio para que tivéssemos vida e vida em abundância, ou seja, a vida do próprio Deus em nós.

Deus também tem sonhos tremendos para cada um de nós.

O empresário sonha ter uma casa de campo. Deus sonha em lhe dar uma mansão nos céus.

O advogado sonha em tornar-se um juiz famoso e bem sucedido financeiramente. Deus sonha em lhe dar um coração quebrantado e contrito e não ter que julgá-lo no dia do juízo final.

O médico sonha em se aposentar e aproveitar seus últimos anos de vida viajando pelo mundo. Deus sonha que cada um dos seus filhos possa ser mais intimo dele, fazer uma viagem ao mais profundo do Seu coração e ouvir dos lábios do Pai: “Esse é o meu filho amado em quem me comprazo”.

O vendedor sonha conquistar muitos clientes. Deus sonha que conquistemos muitas almas para o reino dos céus e que alcancemos um coração sábio

Nós sonhamos com o reconhecimento do mundo. Deus sonha que possamos reconhecê-lo como único e verdadeiro Deus, e termos a liberdade de entrarmos na sua presença dizendo: “Papai”.

O nosso tempo é curto e temos que decidir: vamos viver os sonhos de nossos pais, os nossos sonhos ou os sonhos de Deus?

Não importa qual sua atividade empresarial ou profissional, Deus o desafia a viver os sonhos dEle para a sua vida. A tornar-se um empreendedor de Cristo!

A trazer a existência os planos dEle para a sua vida!

A escolha é sua: você pode tornar-se um empreendedor de Cristo ou continuar sendo somente um empresário ou profissional cristão.

Pedimos a Deus que encha vocês com o conhecimento da sua vontade e com toda a sabedoria e compreensão que o Espírito de Deus dá. (Cl 1:9b NTLH)

Cláudio H. Guisoli é coordenador do "Ministério Empreendedores de Cristo", e empresário no setor de elevadores na cidade de Belo Horizonte - MG  guisoli@uol.com.br


 SEGUNDO PRINCÍPIO: "CONHEÇA A SI MESMO" 

“Como águas profundas, são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los”
(Pv 20:5 RA).

Conhecer-se bem exige tempo e esforço; não é algo que possamos conquistar num seminário de fim de semana.

Quantas vezes você já parou diante de um espelho e observou sua fisionomia?

Você é capaz de descrever com detalhes a feição do seu rosto?

Acredito que a grande maioria teria dificuldades em descrever sua fisionomia. Se nós temos dificuldades em expressar nosso conhecimento em relação àquilo que é exterior, o que se dirá daquilo que está em nosso interior: valores, sentimentos, intenções do coração?

Na jornada do autoconhecimento, vivenciamos as seguintes situações:

1) O NOSSO FRACASSO NOS LEVA A RECONHECER NOSSAS LIMITAÇÕES

“Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos” (Sl 119:71 RA).

Quando somos jovens, acreditamos que somos imbatíveis e que nada nos poderá deter na busca de nossos objetivos. Elaboramos os “nossos projetos”; colocamos em execução e, sem qualquer hesitação, afirmamos serem “projetos de Deus”. Quando surgem os fracassos, jogamos a culpa no sócio, no gerente, nos funcionários, no cônjuge. E quando não resta mais ninguém, culpamos o próprio Deus.

Os sonhos despedaçados (fracassos) se tornam uma ferramenta nas mãos de Deus, para mostrar nossas limitações e nossa necessidade de dependermos totalmente Dele.

Reconhecer nossas limitações e nos humilharmos na presença do Pai celeste é o primeiro passo em direção ao autoconhecimento.

2) O NOSSO SUCESSO FAZ AFLORAR QUEM REALMENTE SOMOS

“Como o crisol prova a prata, e o forno, o ouro, assim, o homem é provado pelos louvores que recebe” (Pv 27:21 RA).

Recentemente presenciei o testemunho do pastor e escritor Rick Warren. Ele relatou que apesar de ter ganhado milhões de dólares com o sucesso de seu livro Uma Vida com Propósitos, continuava vivendo na mesma casa e utilizando um carro “usado”. Ele brincou que poderia ter comprado uma ilha e passar o resto da vida cercado de criados para servi-lo a tempo e a hora, sem necessitar trabalhar mais.

Apesar de todo o sucesso e prestígio adquiridos, ele não perdeu o foco do propósito de Deus para a sua vida e continua se dedicando em tempo integral à obra de Deus. E vai ainda além. Hoje ele destina 90% dos seus ganhos para a obra de Deus e vive com os 10% restantes.

Infelizmente, na grande maioria dos casos de sucesso, o que vemos são os traços negativos do caráter humano se aflorar: orgulho, prepotência, preconceito, etc.

Reconhecer que é pela vontade de Deus que os homens se tornam importantes e recebem força é o segundo passo em direção ao autoconhecimento.

3) NOSSOS SENTIMENTOS ORIENTAM O CURSO DA NOSSA VIDA

“Acima de tudo, meu filho, tome muito cuidado com suas emoções, porque elas afetam toda a sua vida” (Pv 4:23 BV).

É comprovado que várias doenças são conseqüência de sentimentos contidos, como: ódio, mágoa, inveja, ciúme, etc.

Quantas pessoas com grande potencial encontram-se paralisadas porque não puderam se desvencilhar da prisão construída por seus sentimentos negativos.

Existem muitos projetos de Deus para nossas vidas que estão engavetados porque nos falta a coragem de chegarmos diante do Pai com nosso coração aberto e revelarmos nossos sentimentos mais íntimos.

A quem nós estamos tentando enganar? Será que temos a pretensão de achar que podemos esconder de Deus nossos sentimentos? Com quem pensamos que estamos nos relacionando?

Reconhecer que não podemos esconder nossos sentimentos e frustrações do Pai celeste e que Ele tem poder para curar qualquer ferida emocional, por mais profunda que seja, é o terceiro passo em direção ao autoconhecimento.

Concluindo, conhecer a Deus deve ser o principal objetivo da nossa vida. Como conseqüência do caminhar com Deus, nosso autoconhecimento irá desenvolver-se. À medida que caminhamos em direção ao Pai das Luzes, as trevas são reveladas em nossa vida e começamos a nos enxergar como de fato somos. Aí o Espírito Santo passa a ter liberdade para nos transformar “dia a dia” na imagem e semelhança de Jesus Cristo.

“Nós, os cristãos, entretanto, não temos nenhum véu sobre o nosso rosto; podemos ser espelhos que refletem claramente a glória do Senhor. À medida que o Espírito do Senhor trabalha dentro de nós, tornamo-nos mais e mais semelhantes a Ele” (2ª Co 3:18 BV). 


TERCEIRO PRINCÍPIO: “PRIORIZE O QUE REALMENTE TEM VALOR”

 

 “Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.” (1ª Co 9:26 NTLH)

 

O apóstolo Paulo sabia qual era o objetivo da sua vida. E sabia que para alcançá-lo teria de “abrir mão de muitas coisas”. Entendia que, para atingir esse objetivo, teria de priorizar “o que realmente tem valor”.

 

Para nossa sociedade, o vencedor é aquele que tem a agenda mais cheia.

 

Trabalho, igreja, família, escola... Em meio a tantos compromissos, como definir o que realmente importa?

 

As condições impostas pela sociedade moderna, “a exigência de resultados e de respostas imediatas”, nos levam a um viver frenético, com mais pressa e mais depressa a cada dia. Vivemos em função do “relógio” para cumprir nossas tarefas do dia a dia. Não temos sequer tempo para parar e pensar: “Por que tanta pressa?”

 

Você nunca questionou a Deus, indagando por que Ele criou o dia só com 24 horas? Porque 24 horas são mais que suficientes para você fazer o que realmente importa, o que “tem valor”.

 

Deus quer que você seja íntegro, ou seja, inteiro, completo.

 

Freqüentemente, é comum trocarmos de “papéis, de acordo com o ambiente em que estamos. Em cada momento, representamos um personagem diferente: empresário (a), pai, mãe, cônjuge, filho (a), membro de uma comunidade cristã, etc. É como se tivesse se encerrado um ato de uma peça teatral e a cortina se fechasse para a preparação de um novo ato, com a caracterização de um novo personagem.

 

Certo domingo, ao final do culto, um garoto chega ao pastor da igreja e lhe pergunta:

“Pastor, o senhor nos deixa morar aqui na igreja?”

“Por que, garoto?”, indaga o pastor.

“Sabe o que é, pastor, é que quando estamos aqui na igreja o meu pai é legal. Ele me abraça e me beija. Mas quando estamos lá em casa, ele só sabe brigar e gritar o tempo todo.”

 

Deus não nos enxerga vivendo papéis, “personagens” isolados, em períodos distintos do nosso cotidiano. Deus nos enxerga por inteiro, por completo “como uma pessoa integra”, à imagem e semelhança de seu Filho “Jesus”. Deus nos conhece e nos chama pelo nosso nome: Carlos, Beatriz, Roberto, Sônia...

 

“Por acaso pode a mesma fonte jorrar água doce e água amarga?” (Tg 3:11 NTLH)

 

Por acaso pode a mesma pessoa ser um excelente empresário e um péssimo cônjuge e pai?   Pode, mas não é correto que seja assim. Devemos ser íntegros.

 

Então, como posso descobrir e priorizar o que realmente tem valor para mim?

 

Meu negócio? Minha conta bancária? Minha Família? A comunhão com Deus?

 

Não vivendo em função do “relógio” e sim em função da “bússola”.

 

O relógio registra os minutos, horas, dias... O tempo da nossa vida.

 

A bússola dá direção, nos mostra o caminho que devemos seguir.

 

“A tua palavra é lâmpada para guiar os meus passos, é luz que ilumina o meu caminho.” (Sl 119:105 NTLH)

 

A bússola de Deus é a sua palavra, “a Bíblia”, e a agulha dessa bússola é o Espírito Santo que nos dá a direção para nossa jornada.

 

“Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.”

(Lc 10:40-42 RA)

 

Jesus nos dá a opção de escolher. Podemos agir como Marta, “deixando a vida nos levar”, ou podemos agir como Maria, escolhendo a boa parte “que nunca nos será tirada”. Que você possa agir como Maria, e que suas atitudes semelhantes às de Marta sejam exceções em sua vida.

 

Deus tem um propósito tremendo para sua vida profissional, mas Ele não quer que o preço que hoje você paga pelo “seu sucesso” seja motivo de choro e arrependimento no futuro. “Não negocie aquilo que é inegociável”.

 

“Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.” (Mt 6:33 NTLH) 

 


 

QUATRO PRINCÍPIO: “PLANEJE, PLANEJE, PLANEJE, MAS DEIXE DEUS DIRIGIR SEUS PASSOS” 

 

 

 “Se um de vocês quer construir uma torre, primeiro senta e calcula quanto vai custar, para ver se o dinheiro dá. Se não fizer isso, ele consegue colocar os alicerces, mas não pode terminar a construção. Aí todos os que virem o que aconteceu vão caçoar dele, dizendo:

Este homem começou a construir, mas não pôde terminar!”(Lucas 14:28-30 NTLH)

 

“Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?” (Lucas 14:31 RC)

 

Quando Deus deu as orientações para Moisés construir o tabernáculo, Ele o fez com riqueza de detalhes.

 

Também no projeto do templo que Salomão construiu para

Ele, Deus especificou todas as medidas, materiais e detalhes de acabamento.

 

Quando criou o homem, Ele o fez à sua imagem e semelhança. O Deus trino, “Pai, Filho e Espírito Santo”, planejou minuciosamente a obra prima da criação, e somente depois colocou o projeto em execução.

 

Cremos em um Deus que planeja tudo “nos mínimos detalhes”, antes de colocar seus projetos em execução. E é a esse Deus que servimos.Será correto, então, agirmos freqüentemente por impulso, sem planejarmos e consultarmos a Deus?

 

O brasileiro está entre os povos mais empreendedores do mundo.

Mas será que de fato somos bons empreendedores, ou somente “fazedores”?

 

Dados do SEBRAE referentes às micro e pequenas empresas indicam:

30% fecham no primeiro ano de funcionamento.

56% fecham com até 5 (cinco) anos de funcionamento.

 

Quanto tempo é desperdiçado, quanto dinheiro é perdido, quantos relacionamentos são rompidos, por falta de planejamento! E o pior de tudo é que, no final das contas, comumente culpamos a Deus pelo nosso fracasso.

 

Quais são os problemas mais comuns que levam um negócio à falência?

  • Falta de vocação do empreendedor.
  • Escolha do(s) sócio(s) errado(s).
  • Falta de análise prévia dos prós e contras do empreendimento.
  • Falta de conhecimento do mercado e/ou dos clientes.
  • Falta de valorização do “ser humano” – colaboradores.
  • Falta de colaboradores eficientes.
  • Falta de atualização profissional.
  • Falta de ousadia e/ou inovação.
  • Má gestão financeira do negócio.
  • Desconhecimento dos aspectos legais do negócio.
  • Falta de comunicação eficaz no ambiente empresarial.
  •  Auto-suficiência: achar que não precisa de bons conselheiros, nem da orientação de Deus na gestão do seu negócio.

Na gestão empresarial é válido que o empreendedor, além do seu plano principal “A”, tenha outros planos alternativos, por exemplo, “B” e “C”. Isso é importante para o caso de uma eventual necessidade de mudança de curso na condução do negócio.Não sou contra essa conduta, pois se fosse não estaria escrevendo este artigo. Como diz o ditado popular, “prudência e caldo de galinha nunca são demais”. Mas quero alertá-lo para o fato de que o plano que irá garantir-lhe a prosperidade financeira e, o mais importante, “a realização pessoal”, é o plano “D” – de DEUS – para o seu negócio.

 

Embora o planejamento seja imprescindível para o sucesso de qualquer empreendimento, temos de dar liberdade ao Espírito Santo para transformar os nossos planos no plano de Deus: “PLANO D”.

 

Ouçam o que digo pois quero corrigir seus erros! Derramarei o Meu espírito sobre vocês e lhes mostrarei Meu plano para suas vidas. (Pv 1:23 BV)

 

Para encerrar, faço agora um desafio: Dentre os problemas citados que levam um negócio a falir, examine se você e/ou sua empresa se enquadram em algum deles.

Após identificar o(s) problema(s), coloque sua vida e sua empresa diante do Senhor Jesus e faça a seguinte oração:

 

Senhor, venho em nome de Jesus te pedir que me conceda a capacidade para planejar e organizar minha empresa. Dá-me capacidade para resolver (cite nominalmente os problemas que você identificou). Está escrito em 1o Crônicas 29:12 que “Toda a riqueza e prosperidade vêm de ti; tu governas todas as coisas com o teu poder e a tua força e podes tornar grande e forte qualquer pessoa”. (NTLH)

Pelo poder do nome de Jesus, eu profetizo que a minha empresa, a (cite o nome da sua empresa), seja próspera, pois é o Senhor que me faz prosperar. Amém!

 

Deus com certeza irá dar-lhe o entendimento de que precisa para tomar as atitudes corretas, e colocará as pessoas certas no seu caminho para auxiliá-lo e abençoá-lo.

 


QUINTO PRINCÍPIO: "SUBA A ESCADA DEGRAU POR DEGRAU"

Não desprezem esse começo humilde porque os olhos do Senhor se alegram vendo o trabalho começar, vendo o prumo na mão de Zorobabel.” (Zc 4:10a  BV)

Deus não despreza o dia das coisas pequenas. Ele se alegra em ver o trabalho começar , em ver um “novo empreendimento”  surgir. Alegra-se em ver os seus escolhidos trabalharem confiados no agir Dele, e na capacitação que Ele dá aos que o buscam com sinceridade de coração.

Os homens de Deus que conquistaram o sucesso, foram pessoas que valorizaram os pequenos começos:

Davi valorizou sua posição como pastor de ovelhas e conquistou o trono.

José valorizou sua posição de mordomo na casa de Potifar e conquistou o governo do Egito.

Ester valorizou sua posição de serva do Rei Assuero e conquistou a coroa e o privilégio de ser um instrumento para libertação do povo de Israel.

Fazemos parte ou, no mínimo, convivemos com a “geração microondas”, que é sedenta pelo sucesso “agora”, custe o que custar.

Alguns anos atrás, conheci um profissional liberal que por estar bastante angustiado desabafou comigo. O seu desabafo foi algo parecido com o seguinte:

Minha filha de 19 anos constituiu uma empresa com o seu namorado.

Ela pediu minha ajuda e de pronto fiz o que estava ao meu alcance.

Fui ao banco no qual já tenho conta há vários anos e apresentei minha filha ao meu gerente. Devido ao nosso relacionamento, ele imediatamente abriu a conta e liberou uma linha de crédito para a nova empresa.

Semana passada (poucos meses depois), o gerente me chamou ao banco, pedindo a minha intervenção, pois minha filha já havia emitido vários cheques sem fundos, e ele não conseguia falar com ela.

Minha filha e o seu namorado são muito ambiciosos e buscam o sucesso imediato a qualquer preço. Eu já pressentia que isso poderia acontecer.

Criei minha filha dentro de princípios éticos e morais sólidos e ela me coloca nessa situação constrangedora. Tudo que conquistei na vida foi passo a passo: o primeiro emprego, o primeiro carro, o primeiro imóvel. É muito difícil para mim aceitar essa situação.

“Quem planeja e trabalha com dedicação ficará rico; quem quer ficar rico da noite para o dia acaba perdendo o pouco que tem”. (Pv 21:5 BV)

Na maioria das vezes, nós, os “cristãos”, não queremos subir a escada degrau por degrau até chegar ao topo. Não somos em nada diferentes da jovem do episódio citado.

Deus tem para nossa vida profissional um ponto de partida e um ponto de chegada. Para atingirmos o ponto de chegada é imprescindível seguirmos nossa jornada pelo caminho que Deus está nos mostrando. A busca de atalhos só irá nos levar ao fracasso e ao distanciamento de Deus.

Deus zela sobre sua Palavra para cumpri-la.

Está escrito: “Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá”. (Gálatas 6:7 NTLH)

Você não pode colher aquilo que não plantou. Quando alguém planta algo, deve esperar a estação própria para a colheita, ou seja, existe a estação de plantio e a estação da colheita. Todo o fruto deve amadurecer antes de ser colhido.

O sucesso de amanhã começa hoje!

Comece a partir de agora a valorizar o que Deus colocou em suas mãos.

Valorize seus clientes. Valorize seus colaboradores. Valorize seus fornecedores. Valorize sua saúde. Valorize a visão que Deus lhe deu...

Deus usa as circunstâncias e as pessoas ao longo do caminho para trabalhar o nosso caráter.

“Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo”. (Pv 27:17 RA)

Deus está investindo na formação do seu caráter. Para isso, Ele trabalha sem cessar. E, no tempo “oportuno”, irá colocá-lo(a) na posição que tem preparado para você “desde a fundação do mundo”.

“VALORIZE AS ADVERSIDADES DE HOJE E PROFETIZE A COLHEITA DE AMANHÔ.

“ESTEJA DISPOSTO A COMEÇAR DEBAIXO..SUBA A ESCADA DEGRAU POR DEGRAU... MAS ESTEJA CERTO DE TER APOIADO A ESCADA NA PAREDE CERTA”.


 SEXTO PRINCÍPIO: “BUSQUE CONSELHOS, MAS ASSUMA SEUS ERROS”

“Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança.” (Pv 11:14 RA)

“Procure bons conselhos e você terá sucesso; não entre na batalha sem antes fazer planos.” (Pv 20:18 NTLH)

“Porque com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há vitória na multidão dos conselheiros.” (Pv 24:6 RC)

Confesso que, quando eu era mais jovem, os versículos acima me deixavam incomodado. Até que, um dia, cheguei diante de Deus e questionei:

“Senhor, tua Palavra afirma que na multidão de conselheiros há segurança, há vitória, há sucesso. Mas, no meu modo de entender, na multidão de conselheiros há confusão. Com muitos conselhos, eu fico confuso e, na maioria das vezes, não sei qual o melhor caminho a seguir.”

Deus tem muitas maneiras de falar conosco. Às vezes, Ele usa as situações do cotidiano “do dia a dia”, para nos dar o entendimento da sua Palavra.

Nessa época, eu era o síndico do condomínio para o qual havia me mudado recentemente. O portão da garagem não era automático e fiquei encarregado de contratar uma empresa para automatizá-lo. Tive muitas dúvidas, pois seria necessário fazer obras civis e serviços de serralheiro, antes de contratar a empresa para instalar o motor de automatização. Mesmo depois de chamar um pedreiro e trocar algumas idéias com o mesmo, eu ainda continuava com várias indagações a respeito do que fazer. Foi então que me lembrei de dois amigos, um serralheiro e outro que já havia trabalhado em uma empresa de instalação de portões. Entrei em contato com eles, relatei-lhes as minhas dúvidas e pedi orientações, “conselhos”.  Após reunir a opinião desses amigos e a do pedreiro, retirei o melhor de cada parecer e elaborei um plano de ação para a execução dos serviços. O resultado final foi excelente. O portão funcionou perfeitamente e todas as dificuldades iniciais foram vencidas com a aplicação dos conselhos. Completados os serviços, lembrei-me da oração que tinha feito e disse a Deus:

“Senhor, agora entendi o que tua Palavra diz a respeito de conselhos”.

Quantas escolhas um empresário tem de fazer por dia?

Qual o percentual de acertos de suas escolhas?

A quem ele pede conselhos?

Infelizmente, fazemos parte de uma geração que, em sua grande maioria, não valoriza os conselhos e não assume os próprios erros. Mas por que não pedimos conselhos?

1. Não pedimos conselhos porque o nosso “orgulho” não nos deixa reconhecer publicamente nossas limitações. Nossa cultura vê a busca de conselhos como um sinal de fraqueza.

2. Não pedimos conselhos por causa da nossa “teimosia”. “Já tomei minha decisão, e não volto atrás.”

3. Não pedimos conselhos porque não acreditamos ter amigos de verdade, “conselheiros confiáveis”.

4. Não acreditamos, de fato, que “Deus nos ama” e que as instruções contidas em sua Palavra constituem “o melhor” conselho para nossas vidas.

Entretanto, seja qual for o motivo para não pedirmos conselhos, a conseqüência de não fazê-lo é inevitável.

“Vocês não deram valor aos Meus conselhos e acharam que Minha repreensão era inútil. Por isso, vocês comerão os frutos amargos de sua desobediência. Já que seus planos foram semear ventos, vocês colherão tempestades.” (Pv 1: 30,31 - BV)

O aprendizado pode ser uma experiência dolorosa ou gratificante.

Você aprende com o sofrimento... aprende com as perdas... aprende observando o que aconteceu na vida de outras pessoas... aprende com seus conselheiros... aprende com Deus, “com as instruções das Escrituras”.

A quem devemos pedir conselhos? Ao nosso cônjuge, aos nossos pais, a pessoas experientes e que levam Deus a sério... e principalmente a Deus.

De quem devemos evitar o conselho? Do ímpio “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios...”

Mesmo pedindo conselhos a outros, não estamos isentos de errar, pois a escolha é uma decisão individual de cada pessoa.

E quando errarmos, o que fazer?

Quando Adão pecou, ele tentou se justificar diante de Deus, dizendo: “A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.”

É muito mais fácil colocarmos a culpa no colega de trabalho, no patrão, no funcionário, no fornecedor, no governo...

Se quisermos crescer como líderes, como empreendedores e como servos de Deus, devemos buscar conselhos e assumir os nossos erros.

Esqueça-se das coisas que para trás ficam e prossiga em direção ao alvo.

Então, chega de desculpas. Conserte com o Senhor, aprenda com seus erros e siga em frente.

“Ela me orienta e me corrige quando estou errado” (Sl 119:24 - BV)

De posse dos conselhos dos homens, ore ao Senhor, o “Maravilhoso Conselheiro” (Is 9:6) e busque sua orientação, antes de tomar a decisão final.

ASSUMA SEMPRE A POSIÇÃO DE APRENDIZ, E NUNCA SE ESQUEÇA DE QUE “AQUELE QUE APRENDE VAI ENSINAR E AQUELE QUE ENSINA VAI APRENDER”.


SÉTIMO PRINCÍPIO: “NUNCA FAÇA ALIANÇAS SEM A DIREÇÃO DE DEUS”

E o SENHOR foi com JOSAFÁ, porque andou nos primeiros caminhos de Davi, seu pai, e não buscou baalins. Antes, buscou ao Deus de seu pai e andou nos seus mandamentos e não segundo as obras de Israel. E o SENHOR confirmou o reino nas suas mãos, e todo o Judá deu presentes a Josafá; e teve riquezas e glória em abundância” (2ª Cr 17: 3-5 NTLH). “Quando Josafá ficou muito rico e famoso, ELE SE TORNOU ALIADO DO REI ACABE, de Israel, por laços de casamento” (2ª Cr 1:18 NTLH).

“Eles foram até o acampamento de Gilgal e disseram a JOSUÉ e a todos os homens de Israel: Nós estamos chegando de um país que fica bem longe daqui. Façam um acordo de paz com a gente” (Js 9: 6 NTLH). “Os homens de Israel aceitaram a comida deles, PORÉM NÃO PEDIRAM CONSELHO A DEUS, O SENHOR. JOSUÉ FEZ UM ACORDO DE PAZ COM OS GIBEONITAS, prometendo que não seriam mortos. E os líderes do povo de Israel juraram que cumpririam a sua palavra. Três dias depois de feito o acordo, descobriram que aquela gente morava perto” (Js 9: 14-16 NTLH). 

As alianças relatadas foram feitas por homens “DE DEUS”.

1ª) Josafá - um excelente rei de Judá, porém, veio a aparentar-se, a “aliar-se”, com o rei Acabe, de Israel, que aborrecia a Deus sobremaneira;

2ª) Josué - o homem escolhido por Deus para liderar o povo na conquista da terra prometida, porém, num momento de descuido, foi enganado pelos gibeonitas, “seus vizinhos”, e  estabeleceu uma aliança com eles.

A aliança no mundo empresarial é um contrato, um pacto, acordo ou sociedade entre duas ou mais pessoas ou partes, em que se estabelecem compromissos de deveres, obrigações e privilégios, objetivando um bem comum das partes.

A ordenança do SENHOR para o seu povo era de que eles não fizessem alianças com os povos das terras vizinhas. O motivo era que os “COSTUMES” desses povos não corrompessem o coração do seu povo eleito, pois, nesse caso, poderiam desviar-se do SENHOR, adorando assim os ídolos dessas nações.

No mundo empresarial, também devemos aplicar esse princípio. Aliás, a obediência a ele é imprescindível para o nosso sucesso. A observância dele irá livrar-nos de muita dor e angústia.

No mundo empresarial atual, são comuns as fusões, incorporações, parcerias e sociedades.

O que leva um homem de DEUS a fazer uma aliança com alguém que não teme ao SENHOR?

O que leva um cristão a fazer uma aliança com outro cristão, sem buscar a direção de DEUS?

UM FORTE INTERESSE, UM “DESEJO” NO CORAÇÃO DO HOMEM É CAPAZ DE ABAFAR A VOZ DE “DEUS”!

Fazendo uma analogia, uma aliança empresarial pode ser comparada a um casamento, em que os laços são muito fortes.

O rompimento dessa aliança traz conseqüências terríveis para a vida dos envolvidos e para todos aqueles que são parte do relacionamento. No caso da empresa, são afetados: sócios, familiares, empregados, fornecedores, clientes, etc.

Ninguém sai de um casamento sem traumas. De modo análogo, a saída de uma sociedade empresarial deixa marcas para sempre.

Da mesma maneira, quando não buscamos a orientação de DEUS e estabelecemos alianças, movidos pelo interesse do nosso coração, O DESASTRE É INEVITÁVEL.

CUIDADO! Pois mesmo sendo um(a) servo(a) de DEUS, você poderá entrar em um jugo desigual, que poderá trazer conseqüências desastrosas para o resto de sua vida.

Se você está prestes a estabelecer uma “sociedade empresarial”, antes de tudo, responda as seguintes questões:

QUEM FICARÁ NO COMANDO?

Na maioria das vezes, essa questão não é levantada na etapa inicial para a formação da sociedade, porque “os cristãos” não querem constranger a outra parte. NÃO COMETA ESSE ERRO!

Se a questão do comando não for estabelecida no início, isso certamente deixará uma brecha para desentendimentos futuros.

CONCORDAMOS COM OS “VALORES FUNDAMENTAIS”?

Vejamos alguns exemplos de valores que devem ser examinados e estar alinhados, antes de se estabelecer uma sociedade:

1- Estamos dispostos a contribuir com a obra do SENHOR?

2- A empresa servirá de meio de evangelização?

3- Contrataremos familiares para trabalhar na empresa?

4- Iremos contratar gerentes e empregados não-cristãos?

5- Quantas horas por semana vamos dedicar aos negócios?

6- Estaremos dispostos a prestar contas uns aos outros e também a profissionais externos?

7- Venderemos a empresa no futuro?

8- Como a morte de um sócio irá afetar a distribuição dos ativos?

Caso você sinta que não existe concordância nos “valores fundamentais” do negócio, não firme a aliança, não comece o negócio.

Caso os “valores fundamentais” estejam alinhados, peça a confirmação de DEUS... FAÇA PROVA DO SENHOR... SEJA A PAZ DE CRISTO O ÁRBITRO NOS VOSSOS CORAÇÕES.

Documente, “escreva” o que for acordado para evitar dúvidas e discussões futuras.

“Não se juntem com descrentes para trabalhar com eles. Pois como é que o certo pode ter alguma coisa a ver com o errado? Como é que a luz e a escuridão podem viver juntas?” (2ª Co 6:14 NTLH).

Infelizmente, na maioria dos casos, as pessoas já se encontram em uma situação de JUGO DESIGUAL.

No caso de você já se encontrar em um jugo desigual e de estar sofrendo e angustiado por isso, o que fazer?

CLAME AO SENHOR POR MISERICÓRDIA. SOMENTE ELE PODERÁ LIVRÁ-LO DESSA SITUAÇÃO.

“Se você for levado ao tribunal, e lhe tomarem a camisa, dê também a eles o casaco. Se um soldado exigir que você carregue a mochila dele por um quilômetro, carregue dois” (Mt 5:40-41 BV).

Para se desvencilhar do laço que o inimigo armou para você, não busque seus próprios interesses. Pode ser necessário que você tenha de abrir mão de “seus direitos”. Não se apegue a coisas materiais nesse momento. A sua paz de espírito e a sua comunhão com DEUS não têm preço.

O SENHOR poderá dar-lhe um novo negócio no qual o nome dele será engrandecido e você terá “ALEGRIA EM TRABALHAR”. Creia nisso, pois aquilo que é impossível ao homem É POSSÍVEL A DEUS! Entretanto, antes de tomar qualquer atitude, aguarde o sinal verde do SENHOR. “Para todo o propósito debaixo dos céus há o seu tempo determinado”.

QUEM É MISERICORDIOSO COMO O SENHOR NOSSO DEUS?

QUEM PODE LIVRAR COMO O SENHOR?


OITAVO PRINCÍPIO: "PRATIQUE A COMUNICAÇÃO"

 

 "Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim" (Gn 3:8 RA) 

Antes da queda, o homem mantinha diálogo, "conversava" com DEUS. Na viração do dia (no frescor da brisa da tarde), DEUS vinha ao Jardim do Éden para falar com o homem. O Senhor tem prazer em se comunicar conosco e em que nós nos comuniquemos com os nossos irmãos. 
 
DEUS diz: invoca-me e te responderei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes. Quão bom e prazeroso aos meus olhos é que você tenha comunhão com seu irmão. 
Deus não nos criou para vivermos isolados. Você, meu irmão, é um ser sociável e as pessoas são um "presente" de DEUS para você. 
 
Um casamento pode sobreviver com uma comunicação pobre? 
A expressiva maioria dos divórcios está relacionada a falhas na comunicação.  
De maneira análoga, será que uma empresa pode sobreviver com uma comunicação deficiente? 
Posso afirmar, por experiência própria, que uma empresa pode sobreviver a: crises de mercado, concorrência desleal, dificuldades financeiras... Entretanto, ela não pode sobreviver por muito tempo tendo uma comunicação pobre. Comunicar é algo imprescindível para a "saúde" do seu negócio! 
 
Existem vários aspectos ligados ao negócio que devemos comunicar: 
  • A missão e a visão da empresa; 
  • Os valores da empresa; 
  • As metas e objetivos; 
  • Os resultados obtidos... 

Comunicar é algo mais do que falar; é falar e ser compreendido. É fazer-se entender. 

De modo geral, em nosso ambiente empresarial, não temos dedicado tempo para dialogar, para "comunicar". Temos focado muito em resultados, porém, estamos esquecendo as pessoas, que são as responsáveis pela obtenção dos resultados, "o sucesso da empresa". Ou seja, a comunicação é pobre. 
 
Vamos fazer uma pequena reflexão, com base nos últimos noventa dias. Quantas vezes você: 
  • Fez um elogio? 
  • Recebeu um elogio? 
  • Corrigiu de maneira construtiva um colaborador que não tenha tido o desempenho esperado? 
  • Conversou com seu colega ou colaborador a respeito da perspectiva dele(a) em relação ao negócio, à "empresa"? 
  • Conversou com seu colega ou colaborador a respeito de assuntos não relacionados ao trabalho? 
Reconheço que fui criado em um ambiente onde conceder elogios não era uma prática comum, quanto mais recebê-los. 
Alguns anos atrás, quando era gerente regional de uma empresa multinacional, recebi um telefonema de meu diretor. 
O motivo da ligação era que ele estava me concedendo um aumento espontâneo de salário. Mas antes de me dizer isso, ele falou a respeito da minha competência profissional e da minha importância para a empresa. 
Eu simplesmente não sabia o que responder... Isso nunca havia acontecido antes comigo, pelo menos não dessa maneira. Pensei: "Será que é comigo mesmo que ele está falando? Será que de fato mereço esse elogio?" 
Foram necessários alguns dias para que eu pudesse aceitar aquela palavra de aprovação. O Espírito Santo teve de me convencer e falou em meu coração: "Aceite o elogio, pois você o merece. E continue trabalhando para glorificar o meu nome onde você estiver e aonde eu o enviar."  
 
Caso você ainda não elogie seus colegas e colaboradores, comece a fazê-lo. 
Se no início tiver dificuldades, deixe um pequeno bilhete na mesa dele(a) ou envie-lhe um e-mail. Mas não deixe mais de "aplaudir" alguém, sempre que a atitude ou o desempenho dele(a) for digno de elogio. 
 
Você se interessa de fato com seus colaboradores, ou somente pelos resultados que eles podem lhe trazer...? 
  • Sabe e conhece quais são suas limitações e seus pontos fortes? 
  • Conhece pelo menos um pouco da história familiar dos seus colaboradores:  
  • Qual a sua origem? Ele(a) é casado(a)?  Tem filhos?  Tem pais?... 
  • Você conhece os sonhos dos seus colaboradores?  
Invista em uma conversa informal com seu colaborador. Valorize os sonhos dele(a) e procure contribuir de alguma forma para a realização desses anseios, sempre que for possível e justificável. 
 
E não se esqueça de que "Perguntas Inteligentes forçam Respostas Objetivas". 
"Se você quer ter uma Resposta Objetiva, faça uma Pergunta Inteligente". 
 
Hoje os produtos e serviços são cada vez mais parecidos. O grande diferencial está nas pessoas que fazem parte da empresa. Você irá vencer com aqueles que participam do seu time "empresa".  Como sua empresa irá prosperar com uma comunicação pobre? 
 
Deus, em sua sabedoria, deu ao homem dois ouvidos e somente uma boca. 
 
"Queridos irmãos, nunca se esqueçam de que o melhor é ouvir muito, falar pouco e não nos irarmos" (Tg 1:19 BV). 
 
A comunicação é uma via de mão dupla, ou seja, você tem de falar, mas também tem de saber ouvir. 
 
"OS MELHORES LÍDERES SÃO AQUELES QUE SABEM OUVIR". 
 
Por que os líderes que ouvem são mais eficazes? 
  1. Entendem as pessoas antes de começar a liderá-las; 
  2. Ouvir é a melhor maneira de aprender; 
  3. Saber ouvir pode impedir que os problemas cresçam; 
  4. Saber ouvir estabelece uma relação de confiança; 
  5. Saber ouvir contribui para o crescimento do negócio. 
 
"UM DOS MAIORES PRESENTES QUE SE PODE DAR A UMA PESSOA É A ATENÇÃO." 
 
REFLITA SEMPRE ANTES DE FALAR... 
 
"Quem toma cuidado com suas palavras protege sua própria alma,  porque quem vive falando tudo que pensa acaba arruinando sua própria vida" (Pv 13:3 BV).  
 
CUIDADO!!! 
 
Com a sua boca, você entregará o domínio de sua vida a Deus ou ao diabo.
NONO PRINCÍPIO: "CUIDE DO MAIOR EMPREENDIMENTO DE DEUS: VOCÊ" 
"Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é o templo do Espírito Santo, que vive em vocês e lhes foi dado por Deus? Vocês não pertencem a vocês mesmos, mas a Deus, pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a glória dele" (1ª Co 6:19-20 NTLH). 
 
DEUS é o maior empreendedor que existe no universo. Ele nos criou e viu que o ser humano era perfeito.
 
PERTENCEMOS A DEUS, PRIMEIRO, PORQUE ELE NOS CRIOU E DEPOIS PORQUE ELE NOS COMPROU COM O SEU SANGUE PRECIOSO. 
 
Você acha que se não tivesse real valor para DEUS, Ele iria investir o Seu Melhor - CRISTO - para resgatá-lo? 
 
Você tem cuidado do seu corpo como sendo "propriedade exclusiva de DEUS"? 
 
A grande maioria dos cristãos não tem os cuidados necessários com a saúde. Pensamos que, por sermos cristãos, achamo-nos imunes às conseqüências da nossa indisciplina...
 
Você acha que Deus irá preservá-lo, independentemente de você: 
 
1. Beber ou não beber diariamente a quantidade de água que o seu corpo necessita  
 
A água é o nutriente mais importante do corpo e está envolvida em todas as funções do organismo.
 
Um adulto mediano necessita de cerca de dois litros de água por dia. 
Seu corpo é composto de aproximadamente 70% de água. Seus músculos são constituídos de cerca de 75% de água. Seus neurônios cerebrais são formados de, mais ou menos, 85% de água. Seu sangue contém em torno de 82% de água. Mesmo seus ossos têm uma composição próxima de 25% de água. 
 
E, apesar de tudo isso, há pessoas que quase não bebem água. 
 
Infelizmente, eu era uma dessas pessoas. Em dezembro de 1999, voltando com minha família da pousada do Rio Quente, GO., onde passáramos alguns dias de férias, fizemos uma parada intermediária na cidade de Araxá - MG. Achava-me totalmente revigorado fisicamente. Aproveitei para tomar um banho nas termas de Araxá. À noite, saímos para comer uma pizza. Chegamos ao hotel e fomos dormir mais cedo, para seguirmos viagem no dia seguinte. Exatamente às 24 horas, comecei a ter uma cólica abdominal, com dores horríveis e vômitos constantes. Foi a pior noite que já passei em toda a minha vida. Somente no dia seguinte às 8 horas foi que tive o diagnóstico: cálculo renal. Foram necessárias várias sessões de ondas de choque para a fragmentação do cálculo e três meses de sofrimento. A partir daí, mudei meus hábitos no que diz respeito à ingestão diária de água.  
 
2.  Ter uma alimentação saudável ou não 
 
Em sua despensa ou geladeira, encontram-se alimentos que levam "à vida e à morte". 
Imagine duas prateleiras em sua despensa. Em uma, temos alimentos naturais e na outra, alimentos artificiais.  
 
De que tipo de alimento você tem feito uso regularmente? 
 
Você sabia que os alimentos artificiais um dia já foram alimentos naturais? Entretanto, foram alterados de todo modo imaginável, para que possam durar o máximo que puderem, à temperatura ambiente. E eles são tão viciantes quanto o possível para o consumidor. 
 
Muitas vezes, o cristão pensa que por não fumar e não beber pode comer tudo o que quiser. Contudo, a maior parte das pessoas destrói esse "Templo", comendo demais e de modo errado. Muitos sobrecarregam sua estrutura com mais peso do que ela pode suportar.
 
Como cristão, você tem liberdade de comer o que quiser. Sua dieta não impedirá que você vá para o céu. Entretanto, se ingerir freqüentemente alimentos não saudáveis, chegará lá muito mais cedo!  
 
"Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus" (1ª Co 10:31 RA). 
 
3. Descansar o suficiente ou não 
 
Vivemos num mundo em que não há mais diferença entre o dia e a noite. Graças à tecnologia moderna, podemos trabalhar e nos divertir a qualquer hora. Todavia nosso corpo e nossa mente não foram feitos para operar dessa maneira. Muitos acreditam que por viverem em uma sociedade 24 horas, não precisam de descanso. Isso é uma grande cilada do diabo para nossa vida. 
 
Durante uma noite bem dormida seu sistema imunológico é recarregado; os órgãos importantes são restabelecidos; as células velhas são substituídas por novas e sua mente relaxa e ordena os pensamentos, criando um estado mental saudável. 
 
Uma noite bem dormida é grátis. Já aquela em que você não dormiu bem é cara, porque cobra um alto preço de sua saúde. Quando não dormimos o suficiente, acumulamos uma dívida de sono que poderá ser difícil amortizar, se deixarmos que ela cresça muito.  
 
O que acontece quando você não dorme o suficiente?  Você compromete seu desempenho no trabalho; arrisca a sua vida e a de outros; fica mais propenso às doenças; prejudica seu casamento... 
 
Algumas evidências indicam que o sono e o descanso inadequados podem encurtar o período de vida de oito a dez anos. Isso significa que você pode levar vantagens sobre o relógio agora, mas, mais tarde, ele levará a melhor. 
 
"Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem" (Sl 127:2 RA). 
 
4. Praticar exercícios regularmente ou ter uma vida sedentária 
 
Seu corpo foi "programado" para se mexer. Para um funcionamento perfeito, ele precisa de água, alimento saudável, descanso e também de exercício. Quando você se estaciona em uma cadeira e não pratica atividade física, está acelerando o processo de envelhecimento. 
 
Por incrível que pareça, o exercício físico faz o coração descansar. A razão disso é que o coração de uma pessoa inativa trabalha muito mais que o de uma ativa. O coração de um indivíduo ativo bate de 60 a 70 vezes por minuto. Já o coração de um sedentário bate 80 vezes ou mais por minuto, pois não se acha condicionado e é menos eficiente. 
 
O único momento que seu coração se alimenta de oxigênio é entre um batimento e outro. Quanto maior for a pausa entre eles, mais sangue fluirá pelas artérias coronárias, efetuando a nutrição cardíaca. O exercício regular acaba alargando-as, melhorando o fluxo sanguíneo. À medida que o coração se fortalece, ele bate menos vezes, o que significa que está descansando com mais freqüência. 
 
O exercício físico regular diminui os fatores de risco coronário; ajuda a reduzir a pressão arterial; baixa os níveis de triglicérides do sangue (gorduras) e do colesterol ruim (LDL); aumenta o colesterol bom (HDL); previne coágulos sanguíneos; reduz o estresse; promove perda de peso e reduz o apetite... 
 
"Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado"  (Jó 42:2 RA). 
 
A nossa indisciplina não impedirá que DEUS cumpra os Seus planos.
 
Se não tivermos disciplina e destruirmos a nossa saúde, "corpo", mesmo assim DEUS realizará o Seu plano. Se não o cumprir em nossa vida, irá fazê-lo na de nosso filho ou neto.  Contudo o Seu plano será cumprido.  
 
DIGA NÃO À PROCRASTINAÇÃO! 
 
Não espere o próximo ano ou o surgimento de uma doença grave para ter hábitos saudáveis. Comece hoje mesmo a cuidar do maior empreendimento de DEUS: "Você". 
 
Somente estando saudável, você poderá cumprir o propósito de DEUS para a sua vida profissional e/ou para o seu negócio. 
 

DÉCIMO PRINCÍPIO:
"ESCOLHA O MELHOR PATRÃO"
 
 
Se você parar para pensar, verá que não teve a "opção de escolha" sobre diversas circunstâncias de sua vida... 
 
Algumas escolhas Deus fez por você: onde e quando nasceu, ou seja, em que cultura e em que período da história você vive; seus pais e familiares; seu sexo... 
 
Outras escolhas as pessoas fizeram por você: seu nome; a direção da sua educação secular e religiosa da sua infância até a sua adolescência... 
 
Entretanto, há algumas decisões muito importantes que são de sua responsabilidade: o que fazer da sua vida, esse "talento" que Deus colocou em suas mãos; quem será o seu cônjuge (caso você opte por se casar); quantos filhos vão ter... 
 
Inicialmente, o título deste princípio, "Escolha o Melhor Patrão", pode parecer confuso. 
 
Escolher a minha profissão, ou que tipo de negócio vou empreender, ou, quem sabe, até mesmo em que empresa vou trabalhar são coisas possíveis.  
 
Porém, "Escolher o Melhor Patrão", será que isso é possível? 
 
Não só é possível como é imprescindível para o seu sucesso! 
 
"Vocês não podem servir a dois patrões: Deus e o dinheiro. Porque vocês odiarão um e amarão outro, ou vice versa" (Mt 6:24 BV). 
 
"Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom" (Mt 6:24 RC). 
 
Mamon - é uma palavra aramaica que significa "riquezas", as quais podem se tornar um deus para as pessoas.  
 
Aquele a quem você se dispuser a servir, desse será servo: do diabo para a perdição ou de Jesus para a salvação eterna. 
 
Nós, cristãos, já escolhemos Jesus como nosso Salvador. Contudo a grande maioria não o escolheu como seu SENHOR, como "Patrão".  
 
JESUS É O MELHOR PATRÃO QUE VOCÊ PODE ESCOLHER! 
 
Não existe nenhum mal em se obter riquezas. Pelo contrário, a capacidade de adquiri-las é um dom de Deus. 
 
"Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas" (Dt 8:18 a RA). 
 
Entretanto, tenha cuidado, pois o dinheiro é um ótimo servo, mas um péssimo "senhor".  
 
Aquilo que você faz, deverá fazê-lo com alegria, com prazer, por paixão, isto é, com amor ardente. 
 
Ganhar dinheiro é meramente uma consequência do que fazemos com paixão. Os profissionais e empresários mais bem sucedidos, independentemente de serem cristãos ou não, são aqueles que têm paixão pelo que fazem. 
 
Você faz o de que gosta? Tem paixão pelo que faz? 
 
Como posso saber se tenho paixão pelo que faço? 
 
Responda à seguinte pergunta: se você recebesse neste momento a notícia de que ganhou uma herança de 30 milhões de reais, continuaria fazendo o que faz? 
 
Se a sua resposta, sinceramente, for "Sim", você de fato faz o de que gosta, ou seja, é apaixonado pelo seu trabalho. 
 
Tenha paixão pelo que faz. Independentemente do que você faça, só vai ter paixão pelo que faz, se o fizer para Deus. 
 
Você só vai fazer com alegria, seja para quem for, se enxergar que o está fazendo para o Senhor. 
 
"E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis." (Cl 3: 23 e 24 RC). 
 
Você só vai fazer com excelência quando fizer de todo o coração, como para o Senhor e não para os homens. 
 
Será que temos em mente o valor da recompensa que está preparada para nós? 
 
Um funcionário trabalha porque no fim do mês irá receber a recompensa que fez por merecer pelo seu esforço e dedicação. Isto é, ele trabalha pela recompensa. 
 
Deus tem uma recompensa tremenda para nós aqui nesta Terra e muito mais posteriormente, ou seja, a vida eterna. 
 
O motivo do seu trabalho deve ser a paixão. Lembro-me de um corinho antigo que tem o seguinte refrão: "Vibrando por CRISTO, esse jovem amigo que me transformou". 
 
Quando eu tinha 18 anos, fui selecionado para o serviço militar e servi no quartel durante apenas dez dias. Após esse período, fui dispensado, juntamente com mais dois membros da companhia, devido ao excesso de contingente. Entretanto, naqueles dez dias em que, para ser sincero, servi "contra minha vontade", fiquei surpreso com um sargento que nos recepcionava todas as manhãs às 6:00 h. Eu tinha de acordar às 5:00 h para chegar ao quartel às 6:00 h. E quando ali chegava, já encontrava aquele sargento vibrando e super motivado, para mais um dia de atividades militares. Eu não conseguia entender. Detestava estar ali e não podia compreender como o sargento vibrava e se motivava por liderar aquela companhia. 
Quando fiquei mais maduro, entendi o motivo da sua vibração: ele tinha "paixão pelo que fazia". Trabalhava naquilo de que realmente gostava. 
Na ocasião, eu ainda não havia tido uma experiência real com Cristo. Isso aconteceu alguns meses depois. Porém, Deus usou aquele sargento para me ensinar algo muito importante: o que quer que eu fizesse, deveria fazer com paixão. Deveria dar o meu melhor, empenhar-me ao máximo e fazer com amor. 
 
Deus quer o seu melhor! Você tem dado a Ele o seu melhor? 
 
Tem lhe dado o melhor da sua força, o melhor do seu tempo, o melhor da sua colheita (dízimos e ofertas)? Deus tem direito aos primeiros frutos, às "primícias" da sua vida. 
 
Em nossa caminhada cristã, às vezes, perdemos o foco e voltamos o olhar para o passado. Então, somos tentados a nos questionar se os dias anteriores não foram melhores do que os que estamos vivendo no presente.  
 
Quais os melhores dias da sua vida? 
 
Esses dias estão por vir, ainda não aconteceram... 
 
O MELHOR DE DEUS PARA SUA VIDA AINDA ESTÁ POR VIR! 
 
Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem mente alguma jamais imaginou o que DEUS tem preparado para os que o amam. 
 
Para nos tornarmos verdadeiramente "EMPREENDEDORES DE CRISTO", devemos ter o desejo de fazer a obra de DEUS do jeito de DEUS e na dependência d'Ele. E esse "mover" começa de dentro para fora, ou seja, no "coração do homem". 
 
Somente quando você amar ao Senhor, o seu verdadeiro Patrão, acima de todas as coisas, e o amar de todo o coração, de toda a alma e de todo o entendimento, é que será um verdadeiro "EMPREENDEDOR DE CRISTO".  
 
"Mestre, qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei? Jesus respondeu: --"Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente." (Mt 22:36 -37 NTLH). 
 
Deus sabe aonde quer levá-lo, mas o caminho do Senhor não é o seu caminho. Os pensamentos de Deus para sua vida são muito maiores do que você possa ter pensado ou imaginado um dia.  
 
OBEDEÇA "SEM QUESTIONAR" ÀS INSTRUÇÕES DO SEU NOVO PATRÃO, JESUS. 

DÉCIMO PRIMEIRO PRINCÍPIO:

"VIVA PARA SERVIR O SEU PRÓXIMO"

“Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente” (Mt 20:28 NTLH).

“TODO AQUELE QUE QUISER SER LÍDER, DEVE SER SERVO”.

Somos especialistas em apontar falhas, mas tardios em fazer elogios.

Avaliamos as nossas atitudes pelas nossas intenções e julgamos o nosso próximo pelas suas ações.

Eu agi errado, mas minhas intenções eram boas. Como ele(a) pode fazer uma coisa dessas? Você já se perguntou por que ele(a) teve aquela atitude? Em circunstâncias semelhantes, você não teria tido a mesma atitude ou até mesmo uma pior?

Aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra. Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e os outros vos perdoarão.

Conseguimos enxergar aquele pequeno “cisco” – o erro, o problema, o pecado ou a falha de caráter – na vida de outra pessoa e mal podemos esperar para apontar aquilo.

“Por que é que você vê o cisco que está no olho do seu irmão e não repara na trave de madeira que está no seu próprio olho?  Como é que você pode dizer ao seu irmão: “Me deixe tirar esse cisco do seu olho”, quando você está com uma trave no seu próprio olho? Hipócrita! Tire primeiro a trave que está no seu olho e então poderá ver bem para tirar o cisco que está no olho do seu irmão”      (Mt 7:3-5 NTLH).

Devemos, sim, ver “o cisco nos olhos” de nosso próximo, mas para ajudá-lo. Nosso papel não é julgar, porém ser agentes de cura.

Quando trabalhei como gerente sênior em uma empresa global, logo após completar 40 anos (aliás, um desejo antigo do meu coração concedido por Deus), as primeiras coisas que recebi foram um exemplar do “Código de Ética” da empresa e um treinamento intensivo.

Se agirmos como cristãos autênticos em nosso ambiente de trabalho, não precisaremos decorar o conteúdo do “Código de Ética”, pois o amor é o cumprimento de toda lei. Se você amar o seu semelhante tanto quanto ama a si próprio, não desejará maltratá-lo ou enganá-lo, matá-lo ou roubar-lhe algo. E você não pecará com a esposa dele nem desejará aquilo que lhe pertence, nem tampouco fará qualquer outra coisa que os Dez Mandamentos dizem que está errada. Todos os dez estão encerrados neste: amar o seu semelhante como você ama a si mesmo” (Rm 13: 9 BV).

“Seja generoso porque o que você der a outros acabará voltando para você”  (Ec 11:1 BV).

Se você semear oração, receberá orações para sua vida. Se semear paz, receberá paz. Se você semear amor, receberá amor. Se semear vida, colherá vida em abundância.

Assim tudo que você semear na vida do seu próximo, receberá até cem vezes mais.

Invista na vida de alguém!

Experimente servir as pessoas, mas principalmente aquelas que não podem lhe dar nada em troca.

Moisés investiu na vida de Josué; Elias, na de Eliseu; Paulo, na de Timóteo; Jesus, na vida dos seus discípulos.

Peça ao Espírito Santo que lhe mostre uma vida na qual você deve investir: seu tempo, seus talentos, seus bens, seu AMOR...

Todos nós enfrentamos problemas em nossos relacionamentos. São expectativas que não se realizam. São decepções, traições, mágoas, mal entendidos. Todos nós encontramos muitos obstáculos para amarmos as pessoas e sermos amados por elas.

Apesar de tudo, dê uma segunda chance a quem fracassar.

APRENDA A VER O MELHOR NO SEU PRÓXIMO!

Hoje, vivemos tão ocupados que é muito difícil manter bons relacionamentos, mesmo com o cônjuge e familiares próximos. Ironicamente, a maioria das pessoas diz valorizar muito os relacionamentos, mas não investe neles de forma plena.

Pensamos que temos uma vida inteira pela frente, por isso deixamos de dar valor às pessoas, aos “relacionamentos”.

Existem dois princípios de gestão administrativa.

VISÃO GREGA – ADMINISTRAR:Realizar o trabalho por meio de outros” = Servir a Mamom, explorando o ser humano.

MAMOM - Palavra aramaica que significa "riquezas", as quais podem tornar-se um deus para as pessoas.

VISÃO HEBRAICO-CRISTÃ – ADMINISTRAR: AVODAH – Trabalhar e adorar; servir a Deus, fazendo prosperar o ser humano.

Qual o princípio que você tem utilizado para administrar o seu negócio e/ou atuar em sua atividade profissional?

Valorize o que Deus valoriza. Invista naquilo que tem real valor para Deus. Invista em pessoas, pois, para Deus, mais vale uma alma do que o mundo inteiro!

“Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva” (Jo 4:10 RA).

A água do poço, “a salvação”, tem um só propósito: aben­çoá-lo. É para o seu benefício.

“Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (Jo 7:38 RA).

Mas esses rios, a plenitude do Espírito Santo, fluem de você com a finalidade de abençoar seu próximo. O propósito de você receber a plenitude do Espírito Santo é torná-lo uma bênção para seu semelhante.

Pense nas pessoas que Deus tem colocado em seu caminho: Colegas de trabalho? Funcionários? Chefes? Clientes?  Fornecedores? Sócios? Empresários?

VOCÊ PODE SER A ÚNICA FACE DE JESUS QUE ELAS VENHAM A CONHECER! DEUS DESEJA SURPREENDÊ-LAS COM O AMOR DELE DE UMA MANEIRA QUE SÓ VOCÊ PODE FAZER.

Só poderemos deixar um legado espiritual duradouro se nos colocarmos no lugar da outra pessoa, perdoando-lhe como Deus nos perdoou.

“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv 28:13 RA).

Se você quer deixar um bom legado, algo que perdure após a sua passagem pela Terra, invista em pessoas, em relacionamentos.  Então, quando partir, terá a convicção de que conduziu outras pessoas a um destino significativo na vida. 


DÉCIMO SEGUNDO PRINCÍPIO:

 

"CONHEÇA E USE SUA VANTAGEM COMPETITIVA"

“Você não é o dono do mundo, mas é filho do Dono: DEUS”.

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (Jo 1:12 RA).

O Espírito Santo testifica em nosso espírito que somos filhos de Deus.

Você pode vencer qualquer desafio desde que tenha uma vantagem competitiva.

CONHECENDO E UTILIZANDO SUA VANTAGEM COMPETITIVA

1) COMUNHÃO

Sua comunhão com o Pai é o seu primeiro diferencial competitivo.

Existem pessoas que possuem habilidades que são valorizadas pelo mundo, pelo mercado, ou seja, a excelência natural, que é muito necessária, sem dúvida. Porém, existem aqueles que possuem também o espírito de excelência, isto é, que gozam de uma comunhão íntima com Deus. Têm o dom de ouvir a voz de Deus.

O dom que José possuía para interpretar sonhos deu-lhe acesso a algo que, sem ele, nunca poderia ter. Nenhum diploma, especialização em negócios ou finanças pode se comparar com a vantagem de ouvir ou interpretar aquilo que Deus está falando. O nosso verdadeiro patrimônio é escutar a voz de Deus.

Não quero desmerecer o seu MBA, o seu doutorado ou bacharelado. Mas não troque a comunhão com o Pai por nenhum dos seus títulos.

“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus” (Rm 8:14 RC).

Existem inúmeras demandas e atividades profissionais onde o cristão pode atuar, principalmente como filho de Deus, guiado pelo Espírito Santo, recebendo inspiração divina. Infelizmente, porém, boa parte dos cristãos está sonhando em desfrutar do Céu e não se acha compromissada em ser agente de mudança no seu ambiente profissional e em nossa sociedade.

Ser guiado pelo Espírito de Deus é um privilégio reservado apenas àqueles que são íntimos do Pai, somente para seus filhos amados. O Senhor revela os seus segredos para aquele que o teme e o busca de todo o coração.

“O Senhor é amigo chegado de quem O respeita e obedece. A essas pessoas Ele revela os segredos de seus planos” (Sl 25:14 BV).

2) CARÁTER

Desfrutar da presença de Deus e conhecer o seu caráter deve ser o maior objetivo de nossa vida.

Quando você passa algum tempo lendo e estudando a Palavra de Deus, construindo o seu caráter, torna-se cada vez mais semelhante a Cristo.

O fruto do Espírito em nossa vida é um indicativo de que temos o caráter de Cristo em nós.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei” (Gl 5:22 RA).

Hoje um grande diferencial competitivo que, aliás, vai além da formação acadêmica, é sem dúvida a capacidade de ter boas relações interpessoais. Há pessoas muito bem qualificadas tecnicamente que têm dificuldade para ascender na carreira ou liderar seus subordinados, por não possuírem essa habilidade da relação interpessoal.

Alguém pode me dizer se existe ferramenta mais eficaz do que o fruto do Espírito para capacitá-lo para o relacionamento interpessoal?

Em seu ministério terreno, Jesus foi uma pessoa tão sociável que ele mesmo se convidava para ir à casa de seus ouvintes: “Zaqueu, desça depressa, pois hoje preciso ficar na sua casa”.

Você não gostaria de ter em seu time, em seu grupo de trabalho, um profissional que produza o fruto do Espírito nas relações interpessoais?

A manifestação do fruto do Espírito Santo em sua vida é o seu segundo diferencial competitivo.

3) CRIATIVIDADE

Tal Pai, tal filho... A manifestação da criatividade de Deus em sua vida é o seu terceiro diferencial competitivo.

A criatividade é de extrema importância para Deus. Ele é inicialmente apresentado a nós como “Criador”, em Gênesis 1. A sua essência é criativa. Satanás não pode fazer isso. Ele somente pode forjar falsificações daquilo que já foi criado.

A criatividade e a inovação profissional são altamente valorizadas no mercado de trabalho. Os profissionais que possuam esses requisitos são disputados a peso de ouro pelas empresas.

Existe dentro de mim uma veia criativa principal, vinda de Deus Pai, e também uma veia secundária, proveniente da minha formação profissional, a engenharia mecânica. Pouco tempo após me formar, entrei como sócio em uma lavanderia, juntamente com dois irmãos em Cristo. Tínhamos poucos recursos para aplicar na empresa, porém, o SENHOR nos concedeu uma “unção de criatividade” para fazermos prosperar o negócio. Compramos algumas máquinas usadas e as reformamos. Construímos outras máquinas de lavar e secar roupas, tudo feito com peças adquiridas no “ferro velho”. Aproveitávamos tudo. Reutilizávamos os gases que eram eliminados de uma caldeira a vapor na máquina de secagem de roupas. A lavanderia mais parecia a “Oficina do Professor Pardal”. Em poucos meses, saímos do vermelho e começamos a dar lucro.

“Eu escolhi Bezalel, filho de Uri e neto de Hur, da tribo de Judá,  e o enchi com o meu Espírito. Eu lhe dei inteligência, competência e habilidade para fazer todo tipo de trabalho artístico;  para fazer desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze;  para lapidar e montar pedras preciosas; para entalhar madeira; e para fazer todo tipo de artesanato”  (Ex 31:2-5 NTLH).

O cérebro humano é constituído de dois hemisférios: esquerdo e direito.

O hemisfério esquerdo é verbal e processa informações analítica e seqüencialmente, funcionando passo a passo. Esse lado do cérebro é altamente organizado e gosta de listas, de planejamentos, de regras e de manter controle sobre o tempo. É lógico, seqüencial, racional, analítico e objetivo. O lado esquerdo escuta o que foi dito e comunica-se verbalmente.

Nosso cérebro direito é visual e processa as informações intuitiva e simultaneamente. Ele olha primeiramente para a figura inteira e depois examina os detalhes. O processador direito é criativo.

A maioria das crianças, ao ingressar na escola, é predominantemente pensadora e processadora do cérebro direito. Entretanto, não demora muito para que o nosso sistema educacional mude essa realidade drasticamente.

Infelizmente, as estatísticas comprovam que, depois de estar recebendo uma educação formal durante alguns anos, mais de 90% das crianças passam a ter dominância do cérebro esquerdo. Já na época do término do ensino médio, mais de 98% são dominantes do cérebro esquerdo. E, quanto mais longe vão na área da educação, mais dominante se torna o lado esquerdo do cérebro. Uma vez terminado o mestrado e o doutorado, raramente sobra um vislumbre do lado direito do cérebro.

O problema é que, quando um lado do cérebro é estimulado e condicionado para ser o dominante, invariavelmente, passa a inibir o lado mais fraco, tornando-o submisso. Para muitas pessoas, o lado direito atua somente como aquela voz irritante à qual nunca prestam atenção.

Perguntado a respeito de sua descoberta fantástica, a “Teoria da Relatividade”, Einstein respondeu que não havia criado nada, nem era o autor de nada. Ele, simplesmente, conseguira desvendar um pouquinho das leis que já existiam na natureza e que vieram de uma mente divina e criadora.

“Você conhece as leis que gover­nam o universo? Sabe até onde essas leis influenciam a terra?” (Jó 38:33 BV).

De fato, Einstein tinha razão. O homem é capaz de descobrir leis e princípios que já existem e que, agrupados sabiamente, passam a gerar algo físico que beneficia o próprio homem, a humanidade.

Deus quer ativar nosso cérebro direito. Para que isso aconteça, é necessário que nossa mente seja renovada por sua Palavra. Essa renovação só irá acontecer se investirmos tempo não somente de qualidade, mas também em quantidade, na presença do Senhor.

“Não imitem a conduta e os costumes deste mundo, mas seja, cada um, uma pessoa nova e diferente, mostrando uma sadia renovação em tudo quanto faz e pensa. E assim vocês aprenderão de experiência própria, como os caminhos de Deus realmente satisfazem a vocês” (Rm 12:2 BV).

Não podemos servir o Deus dos impossíveis, do sobrenatural, que traz à existência as coisas que ainda não existem, operando somente na esfera do natural, pensando somente com o lado esquerdo do nosso cérebro.

O Espírito Santo está buscando voluntários para conquistar os montes da nossa sociedade. Ele quer ensiná-los: a fórmula para a cura da AIDS e dos variados tipos de câncer, o desenvolvimento de programas alimentares para a população desnutrida, novos métodos de alfabetização e educação, sistemas administrativos e gerenciais inovadores e muito mais.

Alguém se candidata?

“Tenho visto que todas as coisas têm o seu limite, mas o teu mandamento se aplica a tudo” (Sl 119:96 NTLH).

“NÃO DESPREZE OS PRIVILÉGIOS CONQUISTADOS POR JESUS CRISTO, COM SEU SANGUE, NA CRUZ DO CALVÁRIO”. 


Autor da Série: Cláudio Henrique Guisoli

Cláudio H. Guisoli é coordenador do "Ministério Empreendedores de Cristo", e empresário no setor de elevadores na cidade de Belo Horizonte  - guisoli@uol.com.br